A vida presenteia

#8.jpg

Muitas vezes planejamos uma viagem, um sonho, um projeto, uma vida. Colocamos no barco e começamos a navegar. Mas estrada de rio não é estrada de chão. O leito do rio muda, a força da correnteza puxa, e o barco pode ir para outro lado, reservando surpresas. É a vida se apresentando com sua impermanência. 

Uma breve história, dessas em que tudo que foi planejado muda de rumo. Um casal resolve se inscrever num concurso para trabalhar num desses cantos do país onde ninguém quer ir, muito próximo a uma aldeia indígena. São motivados pela medicina sem fronteiras, pela solidariedade. Crêem em ideais humanitários. 

São aprovados e colocam seu barco no rumo deste leito, rompendo suas fronteiras internas e deste país tão imenso. Chegados à margem do rio, apenas a realidade desembarcou, a esperança seguiu o fluxo das águas. A carência de saúde do lugar começava pelos dentes podres dos médicos que vieram dar as boas vindas, precárias instalações, não mencionadas nos editais do concurso. Quando estavam reavaliando seus planos para voltar e desistir, a vida lhes apresenta uma criança. 

A criança que apareceu no ambulatório, sem registro, de origem indígena, apenas nasceu. Não se sabia nem da mãe, nem do pai. Apresentava um quadro sério de desnutrição e uma pneumonia gravíssima. O casal prontamente se mobilizou para salvar esta criança. Foram atrás de remédios que não tinham e viraram madrugadas zelando por ela. Até que, com algumas semanas, a criança curou-se da pneumonia e estava apta a voltar para vida. 

Mas voltar para quem? O rio tinha mudado as forças da correnteza. Tinha trazido esta criança para renovar as esperanças e dar sentido à vida, à viagem, aos novos projetos daquele casal. Legalizaram a criança, que não tinha com quem ficar, e tornaram-se pais desta linda indiazinha que a vida lhes deu de presente. 

Às vezes o que nos provoca movimento e transformação é o desconforto. A comodidade não é criativa para o fluxo do aprendizado. As grandes mudanças, os grandes rompimentos, com suas dificuldades e dores, nos assaltam de novidades para uma vida não planejada. E ai está o desafio, entrar nesse barco e navegar em águas novas. O que tem que acontecer tem muita força. 

Gaby Haviaras